Imortalidade cobiçada.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008


Era uma vez,numa terra medieval onde os homens caçavam vampiros e as encruzilhadas eram evitadas,uma bruxa foragida da humanidade procurava nos seus antigos livros meios para ser jovem novamente.
Beleza era essencial.
Juventude também.

Sabia muito,tinha um vasto conhecimento de três séculos;Buxas geralmente viviam dois séculos e meio e raramente chegavam ao terceiro.Sua sede de imortal
idade não saciava.
Decidia em sua busca saiu da sua simples casa de palha.
Uma casa aterrorizante,maléfica e muito velha.
Morava na floresta,em sua volta havia sim muita vegetação.Qualquer coisa que precisasse a natureza lhe fornecia.
Era lua cheia e já sabia do que precisava para se tornar imortal.
Sangue de lobisomem.
Logo pegou sua carroagem e seus cavalos fiéis e pôs-se a viajar até cidadezinhas da frança,onde os lobisomens se manisfestavam em todas as luas cheias,afugentando toda a população.
Ao chegar no vilarejo mais remoto,provavelmente pertencente já a França e não mais à Belgica,pode-se ouvir gritos aterrorizados de camponesas que se colocavam a correr para o mais longe que pudessem.
Via-se homens com armas precárias,nem ao menos feitos de prata,atacando uma figura gigantesca,peluda e raivosa que os jogavam pelos ares.
A bruxa,com toda sua velhice,passava despercebida graças ao grande desespero dos camponeses da vila. Posicionou calmamente as velas num local um tanto afastado e segurou firme seu punhal de prata.
A velha bruxa recitou alguns murmúrios mágicos,assim ventos fortes começaram a soprar.
Ela colocou todo o ar que conseguia nos pulmões e quando gritou sua voz pareceu um uivo canino.
Derrepente pulou na cara dela o que ela precisava.
O lobisomem.

Estava tudo planejado,raízes sairam da terra e prenderam-lhe as patas enquanto as núvens trazidas pelo vento forte tamparam a lua cheia.O lobo agora era um fraco jovem de aproximadamente 20 anos.
Mais raizes prendiam,fortemente,agora os braços do menino.Ele gritava,não tinha quem o ouvisse já tinha espantado a todos.
A bruxa posicionou de forma bem estratégica e inteligente seu punhal no corpo do homem que berrava.
A prata estava perto do cor
ação do homem para queima-lo até a morte quando a lua reaparecesse.
As núvens foram embora nos outros murmúrios recitados pela bruxa centenária.

O homem agoniava gritos e ululava dores.
Ele estava se transformando e a prata ia queimando seu peito.
Quando a licantropia do homem estava completa a velha empurrou o punhal no coração do lobo que caiu no chão ululando ainda mais dor que ululara quando homem.
Mais raizes prendiam agora o seu pescoço.

Num ato vampírico ela furou com outro punhal,agora de ferro,o pescoço do lobisomem e começou a tomar seu sangue.
A medida que tomava do sangue licantrópico se tornava mais jovem,mais bela e mais sociável.
Ao terminar o homem não possuia mais a forma de lobo e a jovem bruxa foi embora em sua carroagem.
Se olhava no espelho.Realmente estava bela.
Tinha uma nova ambição.
Queria uma filha;mas essa seria imortal desde o início de sua vida e para isso o sangue de lobisomem não adiantava de nada.
Necessitava do sangue de algum ser realmente imortal.Como um vampíro.

Nícholas Mendes (Puck Todd)

3 comentários:

Juliana Galante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Neves [ KroSS® ] disse...

AAAAAH!
CURTI!

Mtas palavras difíceis, coisas alucinantes!
MEO DEUS!

MTu massa k'ra.

AE! Aguardando por mais histórias.
Ah, outra coisa que me chamou a atenção foi as imgs. Gostei pakas.
E sei lá... meio que senti pena do Lobisomem, pq o que ele faz é por instinto animal, enqnto a bruxa por cobiça humana.

Bom. Mta coisa a se pensar.

Quero ler mais continuações!
:D

Flw ae k'ra!

Juliana Galante disse...

Nih..adorei os contos que vc escreveu..

"Imortalidade cobiçada" o que mais achei legal nesse conto, foi a forma que vc terminou de contar ele..que deixa intender que isso vai continuar, essa "cede de vida" dela..essa ambinção sem fim até para coma filha...eu gostei muito!

O segundo: "Uma noite corrida" o que mais gostei foi da maneira que vc contou..com simplicidade. Essa maneira formal de contar a história, deixa a pessoa que lê mais avontade pra imaginar..pelo menos foi o que eu senti!outra coisa bem legal, é a tranquilida aparente do narrador/personagem do conto, no momento do duelo com o Lord, em lhe pedir o charuto e o shop..Sem contar a coragem dele!Muito bom mesmo!!
Bom ..o terceiro conto, nem se fala..primeiro que vc fez eu copiar ir até o Word colar, e trocar a fonte pra poder ler!eu achei isso incrivel!!MUITO BOM!e a história é ótima, o romance no meio desse "mundo de bruxas e vampiros" é bem legal!
Parabéns eu adorei mesmo!